Domingo, 15 de Agosto de 2004

Um dia em contradição

Hoje decidi ser do contra. Mesmo do contra de mim.
Não vou escrever do meu rio, da montanha, da brisa, das pegadas na areia.
Não vou fazer jogos de palavras em poemas que ninguém entende (se calhar, nem eu). Não vou falar do trabalho, das reuniões, das não decisões.
Não vou pôr para aqui a falar objectos inanimados. Isso é coisa de loucos.
Não vou dar um destino à D. Fátima. A engenheira também não tem motivo para falar do seu destino.
Não vou reclamar da política, do governo, da política do governo nem do desgoverno da política.
Não vou insurgir-me contra as injustiças do mundo e os seus carrascos, lamentar os que sofrem, os que morrem, os inocentes.
Nem sequer vou falar da visão da vida através do vidro já fosco, aqui onde a atmosfera continua, por vezes, rarefeita.

Hoje não há conversa que me apeteça ter. Não é tristeza, desilusão ou desânimo. O problema é só um: o dia amanheceu com ar de contradição.
publicado por lique às 20:17
link do post | quer comentar? | favorito
|
49 comentários:
De Anónimo a 18 de Agosto de 2004 às 21:49
MJM: verdade o que dizes. Mas isto foi assim como uma reciclagem, por falta óbvia de inspiração. Beijinhoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Agosto de 2004 às 21:33
"(...) só distintos | de cada um dos outros, para quem | apenas somos uma face em muitas (...)" (Gaiola de Vidro - Jorge de Sena). Não existe contradição! Apenas por vezes se destacam faces e iludem a existência das outras. KissMJM
(http://babylonia.blogs.sapo.pt/)
(mailto:cacooco@hotmail.com)
De Anónimo a 18 de Agosto de 2004 às 01:34
Fico bem, também por ti. Fica bem.OrCa
(http://sete-mares.blogspot.com)
(mailto:jorcas@netcabo.pt)
De Anónimo a 17 de Agosto de 2004 às 19:54
OrCa: bolas, tu até me fazes sentir bem por, de vez em quando, ser do contra! Obrigada, amigo. Beijoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 17 de Agosto de 2004 às 19:37
Ser do contra e ao contrário de repente / Ser do alto mar na terra, impertinente / Ser do ar no chão e consistente... / Não é fácil o viver contra a corrente. (Porque o sapo e a vida só agora me deixaram aqui chegar, dedico-te esta quadrinha esquadrinhada... Quase um apoio do contra! Beijos)OrCa
(http://sete-mares.blogspot.com)
(mailto:jorcas@netcabo.pt)
De Anónimo a 17 de Agosto de 2004 às 16:37
Almaro: a contradição aqui está só no facto de nenhum dos temas sobre que costumo escrever me parecer inspirador. Se é crescer envergonhado não sei, talvez seja necessidade de me renovar. Beijoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 17 de Agosto de 2004 às 15:55
Quando as palavras nos fogem, não há contradição, mas sim um crescer envergonhado que ainda não floriu.
almaro
(http://www.aguarelasescritas.blogspot.com)
(mailto:almaro@iol.pt)
De Anónimo a 17 de Agosto de 2004 às 10:11
Amita: e acabei por falar, com os amigos que por aqui passaram. Beijinhos. Boa semana para ti também.lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 17 de Agosto de 2004 às 00:52
Que simpática maneira de apresentar as coisas que nos aborrecem, que nos apoquentam, dizendo apenas que não vais falar por ser um dia não. Bjinhos Lique e boa semanaamita
(http://brancoepreto.blogs.sapo.pt)
(mailto:amitaf324@hotmail.com)
De Anónimo a 16 de Agosto de 2004 às 21:40
Libelua: Sara, vieste em mau dia, amiga :) Claro que estou a brincar porque tu vens sempre em bom dia. Saudades grandes, amiga. Presumo que ainda de férias mas conseguiste maneira de te ligar a nós. Se assim é, fico ainda mais feliz porque significa que vamos ter mais textos teus. Um beijo enorme.lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)

Comentar post