Terça-feira, 13 de Julho de 2004

Regionalidades (ou o Governo electrónico, segundo Santana Lopes)

Então ontem fiquei eu a saber da grande novidade que nos vai trazer o governo do nosso (salvo seja…) novo Primeiro Ministro. O senhor quer mudar o Ministério da Agricultura para Santarém, o Ministério da Economia para o Porto e a Secretaria de Estado do Turismo para Faro. Com esta medida, dá Santana a algumas regiões um rebuçadinho, para ver se ficam contentes. O homem até distribuiu isto por Norte, Centro e Sul. Ideia brilhante, estão a ver? E não é que a demagogia resulta, de imediato? Viram aquela gente toda a saltar de contente, no Telejornal? Como se um Ministério no Porto significasse que ia tratar (quase) só dos problemas da economia do Norte! Descobri eu, olhando para aquele triste espectáculo, que se a medida for aplicada, deixa concerteza de haver economia no resto do país, já não há turismo fora do Algarve e a agricultura fica mesmo resumida ao Ribatejo. Pasmem com o que se aprende a ver Telejornais! O que dirão as outras regiões desta medida prioritária e do maior interesse público, não sei. Mas tenho um feeling que as reacções não tardarão….
Analisemos então a praticabilidade desta medida, para implementar por um governo que vai durar dois anos. Não fiquei a perceber se se deslocavam só os serviços centrais ou se as Direcções Gerais também vão ter ordem de marcha. Esqueceu-se Santana Lopes provavelmente dos custos de reinstalação de um Ministério em qualquer local que seja. E de certeza que ,de todo, não se lembrou que existem regras para a mobilidade de pessoal na Função Pública. Ou seja, uma medida deste género teria altos custos só em indemnizações e/ou subsídios ao pessoal. Sem contar, claro, com o tempo que isso levaria a negociar. Depois, se as D.Gerais ficarem em Lisboa, há o problema das comunicações constantes com os respectivos Ministérios. Fácil, segundo Santana: aplicam-se as novas tecnologias ,isto torna-se um governo do sec. XXI (oh diabo, se fosse do sec.XX ou XIX é que era mau…) e implementa-se o e-government ( eu traduzo, governo electrónico). Eu fui buscar o que tinha aprendido sobre e-government e pareceu-me sempre que era uma noção que se aplicava fundamentalmente às relações Estado/cidadão. Dou um exemplo: quero comprar uma casa e preciso duma data de papelada. Vou à Internet, introduzo os dados do que quero e os papeis todinhos são-me enviados para casa. Assim sendo… Noções mal assimiladas (as minhas, naturalmente).
Bom, admitindo que seja difícil implementar o governo electrónico (na concepção de Santana Lopes) dum dia para o outro, restam as normais deslocações. Mas como? Os orçamentos de funcionamento dos Ministérios foram reduzidos ao mínimo, devido às medidas de contenção orçamental. Onde haverá dinheiro para deslocações, ajudas de custo, comunicações, etc.? Porque é que eu acho que em qualquer canto deste país, Manuela Ferreira Leite se rebola a rir?
De tudo isto, resta-me a sugestão que me deu hoje um colega que trabalha nos serviços centrais de um dos Ministérios abrangidos nesta leva: “Porque é que não mudamos os Ministérios todos para as Bahamas? Isto com governo electrónico, basta um portátilzinho artilhado e até da praia se pode governar!” Eu aprovo esta sugestão que, concerteza, também não desagradará ao (nosso) novo Primeiro Ministro.
publicado por lique às 07:34
link do post | quer comentar? | favorito
|
64 comentários:
De Anónimo a 16 de Julho de 2004 às 10:22
Tenho de fazer um reparozito... tenho mesmo.
Associando ideias (se Min.Economia estiver no Porto, só há Economia no Porto..etc.etc..)...Orabem..assim sendo deduzo que até hoje só tem havido Economia em Lisboa, Agricultura em Lisboa, Turismo em Lisboa.
Certo ?
O resto do país tem andado a coçar os tomates ??? É isso. ??
Sabes...a descentralização é fundamental por mais que um motivo. Distribuir as migalhas é um bom mandamento a seguir..e faz com que todos nós os restantes portugueses que não somos Lisboetas nos sintamos igualmente filhos de Deus, tal como os restantes cães...
Posto isto, o Santana Lopes não tem categoria para P.M. nem no Burkina Faso.
Contudo, descentralizar é imprescindível.
E mainada.
Over and out.
Mikas
</a>
(mailto:dicionario@aeiou.pt)
De Anónimo a 15 de Julho de 2004 às 01:49
OrCa: por essas palavras, beijão, amigo! Inté!lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 15 de Julho de 2004 às 01:48
... Eu também espero que ele cometa muito mais erros... o pior é que nós é que pagamos! bjslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 15 de Julho de 2004 às 01:47
MJM: pois, é por causa destas birras informáticas, que o homem teria muito mais desculpas para as asneiras , com esse "ih-governo". Beijinhoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 14 de Julho de 2004 às 22:53
Ora e então que tal irmos todos de férias... assim coisa de um anito? Ou anito e meio? Medida profilática e descongestionante para o país. Olha, mulher, do norte ou do sul ou dos 4 pontos cardeais e colaterais, gosto de ti, porra! Dizes-me que vais para férias e parece-me que já estou com saudades de uma amiga. Goza-as bem e se te disserem mal da blogosfera, manda-os ir pentear macacos. Por aqui, está-se bem. O ar é saudável. A malta tem opiniões e grita-as aos quatro ventos e isso, por si só, é uma prova de sanidade mental. Fossem elas tão qualificadas como a tua e vá lá saber-se se os governantes que nos caem no prato não tremeriam com medo dos blogs!... ('Tá bem, chama-me lá lírico, a ver se me importo!...) Tem umas boas férias, Mulher, pelo que aqui vemos BEM MERECIDAS. Um abraço, com beijos. OrCa
(http://sete-mares.blogspot.com)
(mailto:jorcas@netcabo.pt)
De Anónimo a 14 de Julho de 2004 às 20:55
O homem teve um "descuido"... que o há-de atarantar. Atrás deste...outros virão e muitos!...
</a>
(mailto:...@sapo.pt)
De Anónimo a 14 de Julho de 2004 às 20:01
Eh Eh Eh Eh !!!!
Ainda n consegui parar de rir. Acho q, ao fim deste tempo todo a tentar q o sapo me deixasse entrar, e depois de ter conseguido, ter mergulhado os olhos neste teu post, consigo perfeitamente imaginar o e-governo (ou será ih!-governo?, ou ainda in-governo...). Olha lique, tudo muito "in". Se a coisa emperrar, pode-se sempre dizer como agora: "olha, o sistema crashou!..."
Magnífico! Dá lá um beijo a esse teu amigo, q essa dos ministérios virtuais deixaram, assim, de parecer mistério ;)MJM
(http://babylonia.blogs.sapo.pt/)
(mailto:cacooco@hotmail.com)
De Anónimo a 13 de Julho de 2004 às 23:46
Maria: é isso mesmo amiga, temos que estar bem atentos. A demagogia e o populismo são das características dum político mais difíceis de combater. Beijinhoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 13 de Julho de 2004 às 23:44
E preparemo-nos, pois daquela "brilhante" cabeça ainda sairão mais ideias analogamente insensatas, impraticáveis (como a figura em questão,aliás), mas perigosamente demagógicas... Cabe-nos estar muito atentos... Beijinho, lique, muito bom este teu post... :)) maria
(http://cassiopeia.blogs.sapo.pt)
(mailto:maria475@sapo.pt)
De Anónimo a 13 de Julho de 2004 às 22:56
José Duarte: pois, eu acho completamente impraticável. Já vou ao teu blog. Bjslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)

Comentar post