Sábado, 10 de Julho de 2004

Carta ao Sr. Presidente da República:

V. Exª perdoará, eu sei que não é hábito alguém dirigir-se assim directamente a si com esta sem cerimónia, mas eu estou a escrever-lhe tão somente como cidadã deste país (que sou, porque pago impostos, nunca faltei a uma eleição, enfim cumpro com os meus deveres cívicos).
Tenho antes de mais nada que lhe dizer da minha consideração por si que já vem dos seus tempos de jovem militante. Também naveguei em águas próximas e conhecia bem as suas convicções.
Ouvi-o ontem com muita atenção, redobrada até pelo facto de querer entender as razões da sua decisão, qualquer que ela fosse. O triste é que não entendi.
Recapitulando: V. Exª enumera uma série de considerandos que aparentemente teriam como consequência a convocação de eleições, depois apega-se à Constituição e à “estabilidade” e acaba por deixar o PSD formar governo. Mas, perdoe a expressão, avisa-os que vai andar “em cima deles”. Desculpe a minha mais que provável ignorância mas “em cima deles” como? Que mecanismos tem o Presidente da República para isso? Ou não lhes promulga leis que considere desviantes da política anteriormente traçada e vai ser acusado de não os deixar governar, ou dissolve a Assembleia ao primeiro deslize, o que não me parece ser exactamente “estabilidade”. Não vejo mais nada que possa fazer.
Podia ter feito agora. Podia não ter permitido que uma mistura de jet-set e regionalidades (serão os caciques regionais?) tomasse o poder neste país. E podia talvez ter contribuído em alguma coisa para que os portugueses pobres, desempregados, sem assistência médica decente, sem saber como assegurar a educação dos filhos, tivessem uma palavra a dizer na resolução desta crise política. Ah, claro, os outros portugueses também. E, deixe-me clarificar, eu não disse que a situação desses portugueses seria resolvida. Eu disse que eles teriam uma palavra a dizer. Que todos poderíamos dizer se queremos Santana Lopes e companhia (ainda não sabemos sequer quem são os outros actores) a governar este país.
Dr. Jorge Sampaio, como uma entre os muitos portugueses que votaram em si nas duas eleições, deixe-me dizer-lhe que eu nunca mais votaria em si, se se pudesse recandidatar. Porque, como Presidente da República, cometeu o erro de escolher a solução aparentemente mais fácil (não vai ser a mais fácil para si, de certeza), cedeu às pressões duma direita aliada a sei lá que interesses económicos e perdeu a oportunidade de deixar o povo português partilhar consigo esta decisão. Acho que este povo que desfralda bandeiras e canta o hino (e eu acredito que seja por algo mais que o futebol) merecia essa partilha de responsabilidade.
Perdoe V. Exª o tempo que lhe fiz perder. Entendo que, a partir de agora, vai ser muito pouco para observar de perto este governo que nos impôs.


P.S. Sr. Presidente, hoje escrevi-lhe duas cartas. A outra é mais pessoal. Se quiser lê-la, vá, por favor, ao Blogue de Cartas.






Aos amigos: Desculpem-me, eu prometi que não falava de política no fim de semana. Mas, de repente, achei que também tinha direito a não cumprir as minhas promessas.
publicado por lique às 11:24
link do post | quer comentar? | favorito
|
30 comentários:
De Anónimo a 12 de Julho de 2004 às 09:51
Embora discorde com a posição expressa no post, não quero deixar passar a oportunidade de saudar a elegância com que se exprime. Cordiais saudaçõesJoão Paulo
</a>
(mailto:joaopaulo@jp-construcoes.pt)
De Anónimo a 12 de Julho de 2004 às 00:59
POIS...sem comentários!!BjXanu
(http://www.lugarencantado.blogs.sapo.pt)
(mailto:aldina@pthosting.com)
De Anónimo a 11 de Julho de 2004 às 09:01
A TODOS: peço desculpa por não responder individualmente. O assunto não tem grande discussão, de qualquer forma. Esta é a minha opinião e, sobretudo, a minha desilusão. Outros pensarão diferente. Têm todo o direito de o fazer. A todos os que por aqui passaram e comentaram, neste post ou no de cima, eu agradeço. Beijinhos e abraços.lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 11 de Julho de 2004 às 00:23
Pois, e agora??? Agora, que não se baixem os braços, agora é urgente não desertar...
Maria de Lurdes Pintassilgo permanecerá entre nós como uma referência do que de melhor pode ter o ser humano...
Beijinho grande e parabéns pela magnífica carta ao Presidente e pela deliciosa carta ao Jorge... maria
(http://http.//cassiopeia.blogs.sapo.pt)
(mailto:maria475@sapo.pt)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 23:27

"Quando era cego eu previa/(que Freguesia!)/o que ia acontecer./Era o que se dizia.../mas agora que bem vejo,/só agoiro do que vejo/e já ninguém me quer crer.../Porquê,/ se todos podem ver!" A. O´Neill

Saudades para a Maria de Lourdes, em quem nunca votei,(votei de olhos bem abertos em Salgado Zenha), mas que aprendi a admirar, sobretudo através das suas palestras no Graal, que eu, laico e republicano (entre outros adjectivos (in)confessáveis) tive o privilégio de escutar...

beijos
DonBadalo
(http://oblogdalibelua.blogs.sapo.pt)
(mailto:DonBadalo@sapo.pt)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 22:14
Lique só para dizer...onde raio puseste o espaço para eu sbscrever a carta? Beijinhos amiga, e mesmo que a minha assinatura não figure ela está aqui, tu sabes disso. Quanto a Lurdes Pintassilgo...uma vénia: morreu uma Senhora e uma Mulher com "M" grande. Beijinhoanomalia
</a>
(mailto:anomalia@sapo.pt)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 22:01
Excelente post lique. Disse aquilo que muitos de nós estão a sentir. Por mim ainda estou numa de 'não é possível'...Ardelua
(http://ternaeanoite.blogs.sapo.pt)
(mailto:Ardelua@sapo.pt)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 20:47
Lique desculpa tratar-te assim: mulher és das minhas! Subscrevo inteiramente a tua carta! Também votei nele das 2 vezes, sempre votei desde que me lembro e como cidadã e pessoa estou revoltada. Mas não vou desistir dos meus ideais, Ai isso não! Quanto à morte de M.ª de Lurdes Pintassilgo, como pediste para comentar aqui, lamento a morte de uma pessoa que era íntegra, fez o que podia e sabia na altura em que foi primeiro ministro. Tal como tu, hoje as minhas emoções também estão completamente..olha acho que percebes. beijinhos:)***
PS: Será que este mês só morrem pessoas???wind
</a>
(mailto:sagit_126@hotmail.com)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 19:47

Subscrevo a tua carta. E prometo que hoje já não falo mais de esperança!LibeLua
(http://oblogdalibelua.blogs.sapo.pt)
(mailto:libeLua@sapo.pt)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 19:23
Lique, cara amiga, a tua carta é um exercício de cidadania, o que por si só merece o meu aplauso, sem reservas. Soma-lhe o conteúdo, e volto a aplaudir.
Jorge Sampaio lembra-me uma frase antiga que dizia: "vejo o melhor, aprovo-o e, no entanto, sigo o pior".
O que terá acontecido ao homem? Vendeu a alma ao diabo?... Não "sentiu" alternativas credíveis no espectro político nacional?
Com uma pseudo-informação imbecilizante que nos diz de um Ferro Rodrigues não ter "carisma", mais por não ter perfil de galã de cinema do que por não ser capaz de varrer com os arrivistas que pululam no partido das mil famílias, é difícil extrair análises.
Aliás, pelas razões inversas (ou talvez não) se "estuda" o perfil de Santana...
Pelo meio disto, Jorge Sampaio aproveitou, seguramente, a oportunidade histórica de voltar contra ele toda a "esquerda". De responsabilidades afectivas na morte de Lurdes Pintasilgo, por muito perverso ou desonesto que isso pareça, também não se livra.
Não gostaria de lhe estar na pele, mesmo com a tal alma vendida ao diabo e por muito bom que tenha sido o preço. O senhor presidente será o presidente de todos os portugueses. Mas, na hora de prestar contas, é ao seu eleitorado que deverá prestá-las em primeiro lugar!OrCa
(http://sete-mares.blogspot.com)
(mailto:jorcas@netcabo.pt)

Comentar post