Sábado, 10 de Julho de 2004

Basta um pouco de nada

reaching_out.jpg


basta um pouco de nada
uma pitada de coisa nenhuma
a sensação de fuga
a saudade dos ventos
o rasto de um navio
o voo gritante das gaivotas mar adentro

bastam os areais milenários
despropositadas fragâncias de maresia
nos pastos e nos rios

basta um quase nada
e a aventura nasce
o sonho levanta âncora

fundeado em águas brandas
fica a carcaça indolente do meu corpo



Luis Filipe Duarte, in Do amor e de ti






Hoje é sábado, a preguiça e o mau humor mandam-me deixar falar os poetas, sobretudo quando se trata de um amigo.
publicado por lique às 08:02
link do post | quer comentar? | favorito
|
18 comentários:
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 20:50
Bonito poema Lique. Olha somos solidárias neste dia e em muitos que se seguirão, de certeza. Muitos beijinhos para ti, para ver se melhoras:)wind
</a>
(mailto:sagit_126@hotmail.com)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 19:56

Eu percebi o que querias dizer no teu comentário... E quando falo em Taça, não falo no poema, falo na esperança que lá estava... Mas não é fácil tê-la, não. Só com muito boa vontade conseguimos imaginar que este este país caminha para bom porto, nas mãos de um experimentado capitão... Às vezes pergunto-me o que fragilizou e dividiu assim a esquerda, a ponto disto tudo ter acontecido... Não respondas. Ambas sabemos a resposta, mas hoje política, tu o disseste, chega. Beijinho
LibeLua
(http://oblogdalibelua.blogs.sapo.pt)
(mailto:libeLua@sapo.pt)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 19:41
Sara: oh amiga, eu ia lá não gostar de alguma coisa que tu escrevesses! É que hoje nem consigo ler poemas. Comecei a ler o do OrCa e as lágrimas bailaram-me nos olhos. Isto é tudo uma idiotice. Lembras-te , "só se desilude quem se ilude"? Beijinhos, amigalique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 19:37

Olá lique. Que pena não teres gostado da minha Taça...
A esperança bebe-se em sorvos pequeninos para nunca se esgotar... Também eu acho que este país precisa de gente, gente que tome nas suas mãos o destino de um povo e não as suas respectivas carreiras políticas. Mas que isso não nos mate a capacidade de crer e de intervir com a confiança que em nós mesmos temos e nas nossas decisões... O resto, é um carnaval que passa por nós. Que siga a palhaçada. Pior do que já fez o governo anterior, este não pode fazer. A menos que a incompetência nos venha colocar ainda em piores dificulades a nível laboral e de estabilidade individual... porque o mal, lique, já foi feito.
(Este comentário, servia mais para a carta ao Jorge Sampaio ... mas foi aqui que me empolguei... Beijinho
LibeLua
(http://oblogdalibelua.blogs.sapo.pt)
(mailto:libeLua@sapo.pt)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 17:42
Márcia: que falem os poetas para nos consolarem das tristezas e nos fazerem sonhar :) beijoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 17:36
Que falem então os poetas e nos encantem.
Beijo daqui, onde é inverno.Márcia
(http://www.tabuademares.blogger.com.br)
(mailto:marciamaia@uol.com.br)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 12:17
Porquinho: homem, neste momento tenho a alma dorida. De desilusão, de desgosto, sei lá de mais o quê. Mas isto há-de passar. Bjslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 12:16
Eterea: oh amiga, então não havia de querer? Que é preciso para pertencer ao teu jardim de girassóis? É que estou a precisar de flores, de carinho, de abraços. Esta manhã tem sido ruim. Beijo grandelique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 12:14
MacClaymore: o poema foi de manhã cedo, a indignação voltou a seguir e o desgosto depois. Raio de manhã! Bjslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 12:12
ognid: o problema é que as más notícias caem sobre nós em catadupa. beijinhoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)

Comentar post