Sábado, 31 de Julho de 2004

Morte ardente

fogo.jpg


Na cidade do verão
pairam corvos de desgraça
Nuvens cor da terra cinza
avançam trazendo a nova
da agonia das gentes
do terror da morte ardente
choros de vidas despojadas
da matéria arrancadas
sem sonho de recomeço

Por cima da litania
Cavalgando nuvens plúmbeas
Ferindo de morte a alma
Ouve-se o grito das árvores!
publicado por lique às 19:13
link do post | quer comentar? | ver comentários (48) | favorito
|
Terça-feira, 27 de Julho de 2004

Postal desta cidade

terrasul.jpg


Nesta cidade caminho pelos becos estreitos, pelas escadas, subo ao castelo, vejo as (muitas) igrejas, sinto os aromas vindos das flores das árvores. E volto ao rio.
Olho ( vejo) as salinas, os homens de pele curtida, sei deles a história da flor do sal e das aves que por ali pairam e fazem ninho. Mas volto ao rio.
Algo de mim parte com os barcos que vão para a faina e volta com eles, pejados (às vezes) de peixe que chama de perto as gaivotas. Eles ancoram no rio.
Pelo rio é o caminho da ilha dos encantos, a rota do mar, os cheiros da mata. Pelo rio é o regresso.
Sinto o prazer de deambular pelo mercado, pelas feiras, de ver (bom) cinema ao ar livre, numa tela sob as janelas de um velho convento, sentindo a magia do “Cinema Paraíso”. Mas à noite caminho à beira rio.
Sei os sabores do mar e os doces da terra, num casamento perfeito de puro prazer. E vou ver o rio nas pontes, nas esplanadas nos caminhos solitários.
Volto ao rio hoje, amanhã, sempre porque o rio é o meu local de adoração e só a ele confio mágoas, segredos, esperanças e deixo que corram livres para o mar que as leva para longe, em rota incontrolada.

publicado por lique às 16:34
link do post | quer comentar? | ver comentários (18) | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Julho de 2004

Férias!

terrasul.jpg



Ora desta é que é. Vou de férias e, como o tempo já não é muito, deixo-vos com um texto que já tinha sido editado há uns três meses e que fala da terra para onde vou. Beijinhos e abraços a todos os amigos que aqui passam todos os dias e, aos novos que não pude visitar, prometo fazer uma listinha para quando voltar. Fiquem bem, deixem lá os homens governar (ehehehe...) e voltamos a encontrar-nos para o princípio de Agosto.
Ah, podem usar os comentários para conversar, dar beijinhos, desejar boas férias uns aos outros, enfim, a casa fica por vossa conta. Se puder, mando-vos um postal :)



Terra ao Sul




Há estranhas chaminés de cal e renda
Saindo de terraços ensolarados
Ruas estreitas onde nos perdemos
E o mar

Há um rio onde os barcos se acolhem
Flutuando levemente com as marés
Pescadores conversando noite adentro
E o mar

Há um jardim onde passeiam crianças
Brincando ao pé do lago do coreto
Velhos sentados falando da vida
E o mar

Há salinas que nos ferem o olhar
Brilhando alvas sob o sol ardente
Velhas fábricas vindas doutro tempo
E o mar

Há uma estrada que nos leva ao paraíso
Rumando ao mistério das quatro águas
Barcos – passagem para a ilha de sonho
Onde abraçamos o mar

Terra ao sul, minha lembrança
Terra ao sol, minha realidade.
publicado por lique às 07:52
link do post | quer comentar? | ver comentários (41) | favorito
|
Quarta-feira, 14 de Julho de 2004

Movimento voluntário

saudade2.jpg



Dói saudade de (não) estar contigo em frente ao mar
Saber em mim que a ausência foi escolhida
Que a vida me levou em movimento voluntário
Lembranças que escolhi apagar mas não se foram
Tatuagem como aquela da canção do Chico.

Dói saudade de mim em tempo antigo
Alma de ousadia e de querer
De avançar mais capaz que de fugir
De esperar por ti com flores nos olhos
E dar-te tudo como se nada fosse

Dói saudade de em mim acreditar
Que tudo o que era não tinha importância.

 



Isto de falar de política todos os dias, torna- se uma chatice. Então hoje é saudade à boa maneira portuguesa. Podem pôr, como fundo musical, uma guitarra a gemer...
publicado por lique às 11:56
link do post | quer comentar? | ver comentários (38) | favorito
|
Terça-feira, 13 de Julho de 2004

Colocação de professores

Pede-me a Wind, que por aqui costuma comentar e não tem blog, que eu dê voz a um problema que diz respeito à colocação dos professores. Como não sou professora, a minha informação é escassa, mas penso que haverá, entre os que por aqui passam quem tenha informação adicional. O que vos peço é que discutam o assunto entre vós. O espaço está à vossa disposição. Passo a transcrever a informação que a Wind me passou:


“Em Fevereiro, houve pela primeira vez concurso para a colocação de professores, referente a todos os ciclos, correspondendo a uma modificação nos quadros de colocação, passando a existir o Quadro de Zona Pedagógica para quem pertencia ao Quadro Distrital de Vinculação e o Quadro de Escola para os professores efectivos. Houve também a criação de agrupamentos de escolas (escolas do 1º ciclo de uma mesma zona ficam sob a alçada de uma escola do 2º e 3º ciclos).
Em Maio saíram os primeiros resultados provisórios e todos estão lembrados da quantidade de erros que as listas tinham (foi até assunto falado na Comunicação Social por uns dias). Houve milhares de reclamações e em princípios do mês passado saíram novas listas, ainda com centenas de erros. Após as respectivas reclamações ficou a ideia de que as listas sairiam definitivamente no início de Julho, para dar tempo a tratar da papelada inerente.
Os maiores problemas começam aqui, pois se os professores não sabem onde são colocados, não sabem a que agrupamento pertencem e não há hipótese da “escola-polo”, chamemos-lhe assim, processar vencimentos de pessoas que ainda não têm colocação definida. O mais provável é que esses professores vão ficar sem pagamento, pelo menos no mês de Setembro.
Aparentemente os Sindicatos estão a trabalhar no assunto mas não têm conseguido nada (o que não é de espantar, os ministérios estão mais ou menos paralisados).”


Por favor quem tiver alguma informação sobre este assunto, comente aqui e fale com a Wind e os outros afectados pela situação.
publicado por lique às 21:27
link do post | quer comentar? | ver comentários (28) | favorito
|

sobre mim

pesquisar

 

outras palavras minhas

palavras recentes

Passeando na blogoesfera....

O Beijo

Reinvenção do mundo

de impossibilidades

Fixação

Ritual do silêncio

Poema à mãe

Azul, azul...

Ecos de Abril...

Desencanto

palavras guardadas

Dezembro 2007

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

blogs SAPO

subscrever feeds