Domingo, 27 de Novembro de 2005

Nocturno

Beijar-te-ei na sombra,
sem que o meu corpo toque
o teu corpo.

- Correrei as cortinas:
que não entre nem a névoa
do céu -.

Que na morte absoluta
de tudo, só exista,
novo mundo, o meu beijo.



Juan Ramón Jimenez
publicado por lique às 21:57
link do post | quer comentar? | favorito
|
Sábado, 12 de Novembro de 2005

Vive-me

A vida entrou devagarinho pela janela. Provavelmente, tinha deixado uma fresta aberta. Chegou-se a mim e deve ter dado um grito manso no meu ouvido:

“Vive-me!”

Nunca fui muito de obedecer a ordens de ninguém. E afinal o que é a vida para se achar no direito de me gritar, murmurando? Coisa estranha que me tinha acordado do meu sono bem desperto. E insistia:

“Vive-me! Eu sou só um sopro, uma brisa leve e rápida. Respira cada momento

Talvez de raiva, olhei a vida de frente. Foi então que recomecei a vivê-la.
publicado por lique às 18:33
link do post | quer comentar? | ver comentários (5) | favorito
|

sobre mim

pesquisar

 

outras palavras minhas

palavras recentes

Passeando na blogoesfera....

O Beijo

Reinvenção do mundo

de impossibilidades

Fixação

Ritual do silêncio

Poema à mãe

Azul, azul...

Ecos de Abril...

Desencanto

palavras guardadas

Dezembro 2007

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

blogs SAPO

subscrever feeds