Sábado, 5 de Junho de 2004

Poema enjoadinho

Filhos…Filhos?
Melhor não tê-los!
Mas se não os temos
Como sabê-lo?
Se não os temos
Que de consulta
Quanto silêncio
Como os queremos!
Banho de mar
Diz que é um porrete…
Cônjuge voa
Transpõe o espaço
Engole água
Fica salgada
Se iodifica
Depois, que boa
Que morenaço
Que a esposa fica!
Resultado: filho.
E então começa
A aporrinhação:
Cocô está branco
Cocô está preto
Bebe amoníaco
Comeu botão.
Filhos? Filhos
Melhor não tê-los
Noites de insônia
Cãs prematuras
Prantos convulsos
Meu Deus, salvai-o!
Filhos são o demo
Melhor não tê-los…
Mas se não os temos
Como sabê-los?
Como saber
Que macieza
Nos seus cabelos
Que cheiro morno
Na sua carne
Que gosto doce
Na sua boca!
Chupam gilete
Bebem xampu
Ateiam fogo
No quarteirão
Porém que coisa
Que coisa louca
Que coisa linda
Que os filhos são!


Vinicius de Moraes




Porque "hoje é sábado", porque me apeteceu lembrar quão importantes são para mim as minhas filhas e de como elas eram quando faziam estas tropelias todas de que o poeta fala.
publicado por lique às 17:32
link do post | quer comentar? | favorito
|
26 comentários:
De Anónimo a 7 de Junho de 2004 às 20:31
MJM: :(***lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 7 de Junho de 2004 às 20:30
Henrique: obrigada pela visita e pelo comentário. Irei visitá-lo, certamente. Um abraçolique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 7 de Junho de 2004 às 19:33
Bela homenagem. A minha é uma boa "inveja". MJM
(http://babylonia.blogs.sapo.pt/)
(mailto:cacooco@hotmail.com)
De Anónimo a 7 de Junho de 2004 às 19:20
Gostei do seu blog lique.E o seu nome lembra-me uma jóia. Sugiro que faça também uma viagem ao meu blog.E que leia um poema que escrevi aos filhos no meu livro MAR DE BRONZE ( edições Xerazade)intitulado TUDO É INVERNO ÚLTIMA NEVE. Um abraço. Henriquehenrique dória
(http://odisseus.blogs.sapo.pt)
(mailto:henriquedoria@netcabo.pt)
De Anónimo a 7 de Junho de 2004 às 08:40
ognid: ah lá chatos são! Mas vale a pena, de certeza! Bjslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 7 de Junho de 2004 às 08:39
OrCa: é tão bom quando assim é e podemos vê-los seguir os seus próprios caminhos. O "trabalho" de dar novos seres a este mundo tem grandes recompensas. Bjslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 7 de Junho de 2004 às 08:34
José: é um boa sugestão, a tua. E é também muito ternurenta. Bjs. Boa semana!lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 7 de Junho de 2004 às 00:57
Lindo poema do Vinicius, Lique. Eles às vezes são muito chatos mas, contas feitas, se calhar até vale a pena :)) bjksognid
(http://catedral.weblog.com.pt)
(mailto:ognid@catedral.weblog.com.pt)
De Anónimo a 7 de Junho de 2004 às 00:06
Para que saibas de convergências, foi este um dos poemas que escolhi para dizer num dia de homenagens à Mulher... Sou pai de um só filho, por opção partilhada com a minha companheira. Mas foi um filho querido e criado dia a dia, hora a hora... Hoje, que já o vejo a trilhar os seus caminhos, continuo a gostar do que vejo. "Que coisa linda que os filhos são!" OrCa
(http://sete-mares.blogspot.com)
(mailto:jorcas@netcabo.pt)
De Anónimo a 6 de Junho de 2004 às 23:55
Olá lique

Como tantas vezes terás feito, agora experimenta pedir ás tuas filhas para se lembrarem da primeira história que ainda hoje se lembram de te ouvir contar-lhes. A seguir, exige-lhes que te contem tal e qual como a gravaram na memória. Exactamente.
Bjs.Jose Duarte
(http://melnofrasco.blogs.sapo.pt)
(mailto:jpduarte@sapo.pt)

Comentar post