Quinta-feira, 20 de Maio de 2004

As borboletas voam ao crepúsculo

butterfly2.jpg


Contexto: técnico-científico
Numa reunião, a meio da explicação do processo de realizar observações num ensaio, surge a frase: As borboletas voam ao crepúsculo.

Contexto: obsessivo
A frase dançou à minha volta todo o dia, pedindo uma caneta, um teclado, algo que a fizesse permanecer mais que um momento.

Contexto: procura do significado onírico
Analisei as palavras e saboreei-as:
Borboleta: ser alado, cor múltipla, ressuscitada
Voam: libertam-se de amarras, montam o dorso do vento
Crepúsculo: morte do sol, horizonte sem limites, silêncio, hora de expansão das almas

Contexto: criativo/ poético(?) / torturante


As borboletas voam ao crepúsculo




Ressuscitadas
Cortam as amarras
À hora em que o sol morre

Seres alados
Cavalgam o dorso do vento
No horizonte ilimitado

Múltiplas cores
Voando em uníssono
Sustentam as almas
Que em silêncio se expandem.


(que me perdoem os verdadeiros poetas! Isto foi, de certa forma, uma brincadeira…)

publicado por lique às 17:10
link do post | quer comentar? | favorito
|
42 comentários:
De Anónimo a 27 de Outubro de 2005 às 19:11
Adorei. .! Seus poemas são lindos. . profundos. .tocantes. . delicados. . .! Continue brincando desta forma e surpreendendo os que por aqui passam ;)*Sofia
</a>
(mailto:sofiafaria_16@hotmail.com)
De Anónimo a 21 de Maio de 2004 às 20:40
Pantanero: amigo, aquilo que eu queria ressalvar é que há pessoas para quem o processo criativo é a sua vida. Para mim, não é. Eu escrevo aqui para largar um pouco o stress e a rotina. Por isso ressalvei os "verdadeiros poetas". Tirando isso, agradeço-te as tuas palavras. Beijo.lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 21 de Maio de 2004 às 19:31
Minha amiga, devo dizer-te que só não gostei do P.S. de fim de página... Humilde, sim, mas com relatividade. O que é bom, é bom. E já agora, espero que venhas explicar-me o que é "verdadeiros poetas"??? Para haver essa coisa, também haveria "verdadeiros poemas", "verdadeiros sonhos" etc... etc... VOA amiga, o resto é retórica que não faz o teu género.Pantanero
(http://pantanero.blogs.sapo.pt/)
(mailto:zh1951@sapo.pt)
De Anónimo a 21 de Maio de 2004 às 17:56
Encandescente: obrigada pelas tuas palavras, amiga. Vou tentar! Beijinhoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 21 de Maio de 2004 às 17:55
Analfabeto: cuidado com as quedas! Os voos têm que ser à medida das nossas possibilidades :))*lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 21 de Maio de 2004 às 17:04
tens de brincar assim mais vezes:) gostei!encandescente
(http://eroticidades.blogs.sapo.pt/)
(mailto:encandescente@sapo.pt)
De Anónimo a 21 de Maio de 2004 às 16:19
Voou sempre á volta do q gosto... até cair. Sim porque quem voa ás vezes cai e é cada trambolhão...analfabeto
(http://analfabetosexual.blogs.sapo.pt)
(mailto:pp@sapo.pt)
De Anónimo a 21 de Maio de 2004 às 16:07
Maria: ainda bem que gostaste. Tem um óptimo fim de semana. Beijinhoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 21 de Maio de 2004 às 16:06
Porquinho: quantos personagens temos em nós? quantas facetas? És tu que te espantas? Bjslique
(http://mulher50a60.blogs.sapo.pt)
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 21 de Maio de 2004 às 16:04
maat7: amiga, eu acho que foi mesmo deixar os dedos brincar no teclado. Aquela frase pedia para ser aproveitada, porque já era bela à partida. beijinhoslique
(http://mulher50a60.blogs.sapo.pt)
(mailto:lique2@sapo.pt)

Comentar post