Terça-feira, 18 de Maio de 2004

O guardador de rebanhos - XXI

nature.jpg


Se eu pudesse trincar a terra toda
E sentir-lhe um paladar,
Seria mais feliz um momento...
Mas eu nem sempre quero ser feliz.
É preciso ser de vez em quando infeliz
Para se poder ser natural...

Nem tudo é dias de sol,
E a chuva, quando falta muito, pede-se.
Por isso tomo a infelicidade com a felicidade
Naturalmente, como quem não estranha
Que haja montanhas e planícies
E que haja rochedos e erva...

O que é preciso é ser-se natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade,
Sentir como quem olha,
Pensar como quem anda,
E quando se vai morrer, lembrar-se de que o dia morre,
E que o poente é belo e é bela a noite que fica...
Assim é e assim seja...



Fernando Pessoa, Poemas de Alberto Caeiro

publicado por lique às 18:50
link do post | quer comentar? | favorito
|
17 comentários:
De Anónimo a 19 de Maio de 2004 às 14:03
Não há duvida que o fulano sabia tocar no coração dos mortais com a sua pena...zeus
(http://blogdezeus.blogs.sapo.pt/)
(mailto:z_olimpo@sapo.pt)
De Anónimo a 19 de Maio de 2004 às 10:53
A poesia de Fernando Pessoa (que eu adoro) deixa-me por vezes desconcertado e este é um desses poemas... nunca sei se é o gajo que escreveu se é o outro (depois do absinto) que escreve...analfabeto
(http://analfabetosexual.blogs.sapo.pt)
(mailto:pp@sapo.pt)
De Anónimo a 19 de Maio de 2004 às 10:31
Olá
Que tenhas um dia feliz.
Tão bom iniciar o dia com um bom poema. Adorei.
BeijinhosAlma de Poeta
(http://almadepoeta.blogspot.com)
(mailto:Mulher_Mariense@sapo.pt)
De Anónimo a 19 de Maio de 2004 às 08:47
Hoje o dia vai ser complicado cá para as bandas (trabalho, trabalho...) e não vai dar para vos responder um a um, como eu gosto e como todos merecem. Assim, um obrigado aos que passaram e vierem a passar por aqui para se encontrar com Alberto Caeiro, o meu heterónimo preferido de Fernando Pessoa. Já foi Álvaro de Campos. Eu acho que isto varia com a idade... Beijos a todos. Até logo.lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 19 de Maio de 2004 às 04:13
e por Caeiro vou ficar! Que mais poderia desejar? Lique, boa noite e obrigada. ;-)**adesse
(http://sulanorte.blogs.sapo.pt)
(mailto:skuld_m@hotmail.com)
De Anónimo a 19 de Maio de 2004 às 00:02


o "panteismo" poético do senhor Caeiro para terminar o dia! obrigado Lique...DonBadalo
</a>
(mailto:DonBadalo@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 23:45
"O que é preciso é ser-se natural e calmo..." como a foto que escolheste para o ilustrar.Bonita escolha.BeijinhosMWoman
(http://devaneio.blogs.sapo.pt/)
(mailto:siilvam@hotmail.com)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 23:38
mais outra afinidade :-) atuaLolita
(http://levementerotico.blogs.sapo.pt/)
(mailto:violeta_2002@mail.pt)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 23:09
um poema calmo de um poeta de alma inquieta. um momento. calmo e belo como o campo com que o ilustraste.bjencandescente
(http://eroticidades.blogs.sapo.pt/)
(mailto:encandescente@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 22:34

Olá lique... Vim aqui saber que tinhas hoje para nos dizer, e a cor da poeira do teu dia... Abraço apenas... Sara
(http://oblogdalibelua.blogs.sapo.pt)
(mailto:deSaracomAmor@sapo.pt)

Comentar post