Segunda-feira, 17 de Maio de 2004

O escritório

Por vezes regresso àquela velha casa, no bairro de Alvalade. Ao entrar registo as diferenças desde a última vez que lá estive. Vou direita ao escritório. Tem o mesmo ambiente soturno de sempre, as paredes de um verde indefinido, aquele candeeiro antigo, a mobília escura muito trabalhada, os sofás que já não são os mesmos. Estes estavam na sala, eu lembro-me. Os antigos eram também verdes a combinar com a alcatifa que foi arrancada. Consigo visualizar a alcatifa velha e os sofás com eram naquele tempo.
Vejo cenas de amor naquela alcatifa e naqueles sofás, oiço choros de bebés, risos de crianças. Olho a parede onde está um quadro que eu escolhi para oferecer e uma fotografia de duas rapariguinhas muito novas rindo, numa tarde de verão. As minhas filhas. Olho pela janela para o jardim da pracinha lá fora. Parece-me ver uma criança vestida de azul a correr para … quem? Cai, chora e uma mulher jovem pega-lhe ao colo, conforta-a e leva-a para aquela casa.
Naquela mesma janela uma mulher olha a chuva a cair e deixa as lágrimas correr. Lágrimas de confusão, de desilusão, de fim de um amor. Já secaram todas as lágrimas?
Aquele escritório, daquela velha casa no bairro de Alvalade, encerra nele quase metade da minha vida e, sempre que regresso, algo revive e algo volta a morrer.
publicado por lique às 16:45
link do post | quer comentar? | favorito
|
35 comentários:
De Anónimo a 19 de Maio de 2004 às 08:41
MWOMAN: os locais em que estivemos, onde vivemos, por onde passámos guardam lá pedaços de nós com os quais nos reencontramos, às vezes. beijinhoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 23:26
Ah como certos locais nos fazem recordar momentos da nossa vida...BeijosMWoman
(http://devaneio.blogs.sapo.pt/)
(mailto:siilvam@hotmail.com)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 18:57
maat7: Claro, é sempre necessário tirarmos das recordações uma faceta positiva, senão passaremos a vida com saudades do que foi bom ou a chorar o que foi mau. Beijinhoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 18:55
Zezinho: Por cortesia, porque sim, porque me apetece. Chega??lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 18:50
Para quê a resposta a um comentário?zezinho
(http://explicito.blogs.sapo.pt/)
(mailto:volei@netcabo.pt)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 18:49
Sim eu sei qeu tudo são recordações, que eu deixei acontecer, e recordar é viver ... lalala, lalala
http://explicito.blogs.sapo.pt/
zezinho
(http://explicito.blogs.sapo.pt/)
(mailto:volei@netcabo.pt)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 18:40
renascer das cinzas, eis o que a Fénix nos indica.
bjs,

maat7maat7
(http://ardeoazul.blogs.sapo.pt)
(mailto:maat7t@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 18:37
Adesse: hoje eu também estou um bocado pressionada de tempo. E temos que dar atenção ao PC que isso de desmaios, não vale! Beijinhoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 18:36
Zeus: e este local em particular faz-me sentir bem e mal... tem de tudo. Bjslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 18:34
Analfabeto: tia???? Eu até nasci na província e vivi numa aldeia até aos 12 aninhos. Vê lá o que é que me chamas... :)bjslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)

Comentar post