Quarta-feira, 5 de Maio de 2004

Heróis pela negativa

no-justice.gifSomos um povo triste. Só mesmo os franceses para dizerem que “les portugais sont toujours gais”. Não sei para que portugueses estavam eles a olhar quando inventaram esta. Somos um povo que raramente se assume colectivamente e se motiva para um projecto comum. A não ser… a não ser que exista algum herói, algum exemplo, alguém extraordinário a seguir! Nós precisamos de heróis como de pão para a boca. Precisamos de pessoas que apareçam nos media, nos façam reagir desta triste apatia e nos mobilizem.
O grave problema do nosso tempo é a falta de heróis positivos. Onde andam os descendentes de todos aqueles que nos guiaram em alguma época? Digo isto porque nós só vamos lá (onde?) guiados…Na classe política, não vejo nem sequer ao longe ninguém indicado. Temos sempre o futebol, mas aí só o FCP se candidata e dificilmente obtém consenso nacional.
Então, na falta de heróis pela positiva, começaram a surgir os heróis pela negativa. Só assim eu consigo entender as manifestações de apoio e desagravo a pessoas como Vale e Azevedo, Fátima Felgueiras, Valentim Loureiro, Carlos Cruz e outros acusados no processo Casa Pia. Só assim eu entendo que as pessoas esperem à porta desta gente para os abraçar e mostrar a sua solidariedade às esposas e aos filhinhos(as) chorosos.
Só assim posso perceber aquele arraial dos media ontem à noite e o facto de, hoje de manhã bem cedinho, estarem todos prantados em frente da casa de Carlos Cruz, à espera de, como dizia o repórter da SIC Notícias, “terem a sorte dos colegas do Norte quando o major Valentim Loureiro veio em pijama cumprimentar os jornalistas”. Já nem quero lembrar aquela vergonhosa recepção a Paulo Pedroso na Assembleia da República…
O fenómeno é apartidário, começa a ser nacional, no sentido de que não se limita aos caciques locais, e, digo eu, é preocupante. Se a justiça os considerar culpados, o que vai acontecer? Será que os que os consideram heróis perseguidos vão crucificá-los logo a seguir? E se a justiça os inocentar? Será que vão crucificar as vítimas? Isto de ser herói pela negativa, tem que se lhe diga!
publicado por lique às 17:58
link do post | quer comentar? | favorito
|
12 comentários:
De Anónimo a 6 de Maio de 2004 às 19:37
A todos os que comentaram: agradeço a participação e lamento que hoje tenha sido impossível responder a todos, individualmente . O assunto é por demais importante e é pena não haver tempo para "falar" mais um bocadinho. Pela mesma razão, até agora não consegui fazer as visitinhas diárias habituais. Vamos ver se ainda dá para ir fazer uma ronda. Beijinhos a todos.lique
(http://mulher50a60.blogs.sapo.pt)
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 6 de Maio de 2004 às 17:18
Um autêntico "reality-show" promovido pelos media para aumentar as audiências e ainda há pessoas que se prestam a isso...Não dá para entender mas vive-se mesmo uma grande crise de valores, só assim se compreende o fenómeno. Nem sei que dizer mais mas que dá para pensar, ai lá isso dá! Beijos, amiga.MWoman
(http://devaneio.blogs.sapo.pt/)
(mailto:siilvam@hotmail.com)
De Anónimo a 6 de Maio de 2004 às 14:46
Gostei do texto, mas prefiro ficar calado... este tema é a minha real area de trabalho.analfabeto
(http://analfabetosexual.blogs.sapo.pt)
(mailto:pp@sapo.pt)
De Anónimo a 6 de Maio de 2004 às 10:04
Oi lique. Belo post tu tens aqui. É isso, este país já só tem heróis pela negativa tipo Valentim Loureiro, Fátima Felgueiras, Carlos Cruz, and so on. Mas não é porque não existam os que se afirmam pela positiva. O problema real é que estes não vendem, não fazem notícia de entrada nos telejornais nem primeiras páginas dos 24horas ou correios cá do sítio. E porquê? Será que são as pessoas que realmente não sde interessam ou serão os media que fazem com que as pessoas não se interessem? bjksognid
(http://catedral.blogs.sapo.pt)
(mailto:catedral.info@sapo.pt)
De Anónimo a 6 de Maio de 2004 às 00:59
bela reflexão!


um beijo,

maat7

maat7
(http://ardeoazul.blogs.sapo.pt)
(mailto:maat7@sapo.pt)
De Anónimo a 6 de Maio de 2004 às 00:41
Interessante texto sobre todos nós, eternos órfãos em demanda do seu D. Sebastião que, nos nossos dias, não precisa de um cerrado nevoeiro para aparecer. Entra-nos despudoradamente pelas nossas casas... Gostei da distanciação, da frontalidade. Um abraço. Noite boa.adesse
(http://sulanorte.blogs.sapo.pt e http://sulparati.weblog.com.pt)
(mailto:skuld_m@hotmail.com)
De Anónimo a 6 de Maio de 2004 às 00:28
Chama-se a isto "põr o dedo na ferida", ou se preferires "chamar os bois pelos nomes"!!! Muito bem, mulher!Um post fantástico! À banalização da violência, que faz com que a achemos tão natural que já nem reagimos, segue-se a exaltação da bandalheira nua e crua!! Não sei onde nos conduzirá tudo isto, mas pressinto que no fim da estrada não haverá luar, nem flores... Talvez nem gente haja mais...Beijinho grande, amiga :))* maria
(http://cassiopeia.blogs.sapo.pt)
(mailto:maria475@sapo.pt)
De Anónimo a 5 de Maio de 2004 às 23:51
olá lique

Não percebo nada da disciplina mas, atrevo-me a dizer que, sociológicamente os portugueses serão muito difíceis de estudar. Como caracterizar comportamentos se eles oscilam entre um voyeurismo perverso ou entre a malidicência reles, entre a solidariedade e a ladainha,como entender um sujeito que é acusado aos 65 anos de corrupção se sinta herói porque as TV's querem uma "caixa" para o directo?
Neste país há comportamentos que não se entendem.
As pessoas receiam tanto ter atitudes que saiam do politicamente correcto que depois se apatetam!
Fica bem!
BjsJose Duarte
(http://melnofrasco.blogs.sapo.pt)
(mailto:jpduarte@sapo.pt)
De Anónimo a 5 de Maio de 2004 às 23:47
Nunca estivemos tanto de acordo. Temos, porém, de estar atentos ao aforismo dos franceses e rezemos para que não troquem o "i" pelo "y" sem que disso nos apercebamos!! Penso que, de facto, há falta de referencias e os valores positivos não estão a ser transmitidos aqueles que nos irão substituir inexoravelmente.A educação tem falhado redondamente e disso vamos ser todos vitimas. Ultimamente tivemos, pela positiva, o caso Timor ao qual ninguém ficou indiferente e voltamos à apatia nacional. Temos as desgraças que diáriamente nos entram em casa e que já as vemos como que de algo natural se trate. (v.g. Iraque, Israel/Palestina, o dramático desemprego nacional,os traficantes de droga, os pedófilos, os vígaros, etc) Depois esta gente admira-se que o terrorismo apareça como forma natural de reacção. Penso, e oxalá esteja enganado, que a forma futura de reivindicar vai ser o terrorismo, tal é a pressão que se está a formar dos dominantes sobre os dominados. Pode ser que a populaça queira um dia " Um mundo novo a sério" como profetizava o Aleixo.MAC
</a>
(mailto:galileu60@hotmail.com)
De Anónimo a 5 de Maio de 2004 às 20:19
Li o teu post, e agora liguei a televisão e vejo a reacção dos amigos de carlos cruz, que o acordão diz culpado e que se andasse livremente na rua podia repetir o acto criminoso. que raio de noção de herói neste país!!encandescente
(http://eroticidades.blogs.sapo.pt/)
(mailto:encandescente@sapo.pt)

Comentar post