Domingo, 25 de Abril de 2004

Abril, de madrugada

cravo.jpg


Para todos os que aqui passarem, deixo este cravo.





Tocou o telefone na madrugada
Lá longe, lá longe
Revolução…quê?
Qual nada!
Não serão os ultras?
Não serão os outros?
Onde está o botão do rádio?
Levantar, agora?
Quem faz revoluções a esta hora?

Levantada, seja
Deixa lá escutar
Canções estalam
Estas canções???
Gritos de esperança
No meu madrugar
Depressa, expliquem
Mãe, pai, o que é isto?
Digam tudo já ou eu não resisto

E a voz falou
Na cidade parada
Rompeu o silêncio
Disse a palavra
Há tanto esperada
A marcha cantou iniciando o dia
No amanhecer saído do sonho.
Mãe, pai, não digam nada agora
Quero só palavras minhas nesta hora



publicado por lique às 00:00
link do post | quer comentar? | favorito
|
21 comentários:
De Anónimo a 26 de Abril de 2004 às 09:47
ognid: obrigada pela força! Em menos do dois meses de aqui estar já passei por uma série de guerrinhas, de forma que me habituei a "formatar-me" de forma a não ligar muito a provocações. E assim vamos... Bjslique
(http://mulher50a60.blogs.sapo.pt)
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 26 de Abril de 2004 às 09:06
ele há coisas a que eu não resisto... esta treta dos blogs e outras tretas da internet habituaram-nos a isso - a não ficarmos calados. Estas formatações são terríveis. E se há coisa que eu adoro é ver alguns "democratas" que quando alguém se atreve a pensar pela sua cabeça e diz "não vou por aí" têm a imediata e, evidentemente, muito democrática reacção de descambar para o quase insulto. bjksognid
(http://catedral.blogs.sapo.pt)
(mailto:catedral.info@sapo.pt)
De Anónimo a 25 de Abril de 2004 às 23:42
Olá lique

A maioria das pessoas mal puderam acreditar ser possível.
Mas também reagiram rápidamente.
Continuo convencido que o estertor do regime foi acelerado pela força da adesão. Foi de tal ordem espontãnea e maciça que era impossível reagir sem haver uma banho de sangue.
Que emoção!
Fica bem! :-))***Jose Duarte
(http://melnofrasco.blogs.sapo.pt)
(mailto:jpduarte@sapo.pt)
De Anónimo a 25 de Abril de 2004 às 21:18
Olá.
Como ontem fui a uma festa do Abril também trouxe um cravo e esse vou-o guardar por mais 30 anos.
Obrigado pela lembrança.maria
(http://avelha.blogs..sapo.pt)
(mailto:mariaras@sapo.pt)
De Anónimo a 25 de Abril de 2004 às 20:39
Obrigada a todos os que por aqui têm passado e vão deixando a simpatia, os votos e as recordações (Sofia,a tua é uma recordação linda!). Que o sentimento que nos une hoje sirva para actuarmos na vida real para mudar o quotidiano deste pais. É que está mesmo na hora de mudar alguma coisa! Beijinhoslique
(http://mulher50a60.blogs.sapo.pt)
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 25 de Abril de 2004 às 20:12
obrigada pelo cravo...ofereço-te um tb. era muito pequena quando aconteceu o 25 de abril, mas tive o previlegio de viver no centro e vivi intensamente tudo....ainda hoje me recordo que dormi a noite de 25 para 26 no colo de um soldado a brincar com um cravo.....beijossofia
(http://semsentido.blog.sapo.pt)
(mailto:scamuflada@sapo.pt)
De Anónimo a 25 de Abril de 2004 às 20:11
Um beijinho para ti e um cravo tb para ti como forma de festejar os 30 anos de libertação de um povo que conquistou o Mundo e foi amordaçado por 40 anos. Conquistemos de novo o Mundo com a nossa liberdade e força de ser Homens e Mulheres livres e inteligentes.grilinha
</a>
(mailto:grila@netcabo.pt)
De Anónimo a 25 de Abril de 2004 às 19:28

o "meu simpático convite" não foi oficial: a avenida é livre! ainda bem que estás completamente "formatada" na treta dos blogs ...vermelhovivo
</a>
(mailto:DonBadalo@sapo.pt)
De Anónimo a 25 de Abril de 2004 às 19:27
Vim também eu buscar o teu cravo. Um beijo para ti"""
</a>
(mailto:aspasaspas@sapo.pt)
De Anónimo a 25 de Abril de 2004 às 18:39
DoceRebelde: obrigada pela visita e pelo comentário. Em breve irei visitar a tua página. :))lique
(http://mulher50a60.blogs.sapo.pt)
(mailto:lique2@sapo.pt)

Comentar post