Quinta-feira, 1 de Abril de 2004

Do amor - paixão (II)

conception.jpg


Glorifiquei-te no eterno.
Eterno dentro de mim
fora de mim perecível.
Para que desses um sentido
a uma sede indefinível.

Para que desses um nome
à exactidão do instante
do fruto que cai na terra
sempre perpendicular
à humidade onde fica.

E o que acontece durante
na rapidez da descida
é a explicação da vida.


Natália Correia, O livro dos amantes




Origem da imagem




publicado por lique às 09:02
link do post | quer comentar? | favorito
|
6 comentários:
De Anónimo a 2 de Abril de 2004 às 10:05
Mis: acho que tens razão, a mulher raramente se assume como actuante no amor, muito menos no acto de amar. É realmente mais um sujeito passivo que activo, honras sejam feitas às excepções. Na poesia e na vida. Leva lá o teu cházinho, amiga. :))*** lique
(http://mulher50a60.blogs.sapo.pt)
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 2 de Abril de 2004 às 09:59
Xzip: Aqui é a visão do amor ao mesmo tempo carnal e espiritual, amor de dois iguais, amor tão sublime quanto os amantes se dão... Talvez a minha visão preferida. Bjslique
(http://mulher50a60.blogs.sapo.pt)
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 2 de Abril de 2004 às 02:47
Ora bem, pois é aqui, exactamente no meio dos meus dois queridos amigos que me venho "afiambrar" ao meu cházinho da noite! Xzip, dê cá os biscoitos faz favor... Lique: esta Mulher tornou o Amor num verbo a dois, diferente de tudo (com a excepção da Florebela, naturalmente)o que a fêmea fazia e faz... se repararmos,na literatura, a mulher "sofre" sempre em si o amor do homem como um sacrifício de si mesma e compraz-se nas duas dores: a de amar e a do abandono. Não é activa, não se confessa desejosa, apenas descreve os sintomas provocados pela acção do homem... e ainda vemos muito disto na poesia actual e sobretudo na poesia de blog! O Feminino ama como um acto masoquista porque foi "programado" para não gozar a plenitude do amor. Mas quem sou para falar disto???...hummmm Leio, é isso! A estas horas já não digo coisa com coisa e a Lique fez chá de Camomila...hihihihi! Pois louvo-te de novo a escolha: esta sabia o que queria e sabia, oh se sabia, como dizê-lo! E no entanto, na vida...era espancada, sabiam? pois é...boa noite aos dois, beijinhos! :))***misogena
(http://www.inocencia.blogs.sapo.pt)
(mailto:misogena@sapo.pt)
De Anónimo a 1 de Abril de 2004 às 22:37
É lindo e sublime. Em poucas palavras tanto para reflectir. Amar é estar no outro. Quanto a isso não tenho a menor dúvida. Sem posses, somente entregas totais. :))Xzip
(http://bluedream.blogs.sapo.pt)
(mailto:jpft2001@sapo.pt)
De Anónimo a 1 de Abril de 2004 às 21:14
Mis: sabes, eu gosto da forma como ela se assumiu mulher, corajosa e frontal, no mundo dos homens. É essa força que eu procuro nos poemas dela. Meus? Talvez amanhã...Bjslique
(http://mulher50a60.blogs.sapo.pt)
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 1 de Abril de 2004 às 19:37
LIQUE: Colocar aqui esta Mulher é um acto de valor e de coragem! Parabéns por isso e mais ainda, pela escolha do poema...É que não é sempre que ela se confessa assim no amor...não é sempre que "abre" e o procura dentro de si, onde já o tinha interiorizado... Ah Lique, haja sensibilidade e perspicácia! Beijinhos, amiga!:)) misogena
(http://www.inocencia.blogs.sapo.pt)
(mailto:misogena@sapo.pt)

Comentar post

sobre mim

pesquisar

 

outras palavras minhas

palavras recentes

Passeando na blogoesfera....

O Beijo

Reinvenção do mundo

de impossibilidades

Fixação

Ritual do silêncio

Poema à mãe

Azul, azul...

Ecos de Abril...

Desencanto

palavras guardadas

Dezembro 2007

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

blogs SAPO

subscrever feeds