Domingo, 14 de Março de 2004

Para o povo espanhol

A quem eu tiraria o chapéu se o tivesse na cabeça... Ficou mais uma vez provado que é um povo que deseja a democracia, a paz e que percebe quem o quer enganar e tirar dividendos políticos do seu sofrimento. Se vai ficar melhor ou pior, não é o que neste momento interessa. Interessa que a política externa que Aznar levou a cabo contra a vontade do povo que governava (e terá sido só em Espanha que isso aconteceu?) e que infelizmente culminou no horror do dia 11, teve a resposta que merecia. Quem é eleito democraticamente não pode, não deve governar contra a vontade de quem o elegeu. Além de que a tentativa de manipulação dos atentados a seu favor (porquê afirmações tão veementes e precipitadas sobre a ETA?) foi certamente a gota de água. Amigos de Espanha, muito bem! Deram-nos a todos uma grande lição.
publicado por lique às 20:55
link do post | quer comentar? | favorito
|
3 comentários:
De Anónimo a 15 de Março de 2004 às 14:01
Lique! Grande Mulher que faz uso da cabeça e sabe elogiar quem merece! Os meus parabéns a ti! Tens razão: estes governantes democratas tendem a esquecer-se de quem os lá colocou também os pode tirar e com a rapidez de um fósforo! Os espanhóis foram ligeiros de raciocínio, e nós? Garantem-nos que tomarão medidas extra de prevenção contra o terrorismo, mas como, se os nossos "melhores homens e equipamaneto" andam espalhados pelo Cosovo, Bósnia, Iraque?:)) Quem é que está cá? A Polícia de Choque para bater em civis... vai lindo, vai... e se anunciam bomba aqui, é porque a vão rebentar na Inglaterra! Está tudo doido... se está!. Belo post, sentido, e reflectido! Parabéns! Jinhos:))***misogena
(http://inocencia.blogs.sapo.pt)
(mailto:misogena@sapo.pt)
De Anónimo a 14 de Março de 2004 às 23:35
Machado:bem vindo aqui ao meu cantinho. Não sei bem se em Portugal o resultado não irá ser o mesmo... Seremos assim tão masoquistas? Relativamente aos açorianos admito que não seja comentável. São histórias da vida que voltam de vez em quando. E as recordações são boas. A experiência também. Volta sempre. lique
(http://mulher50a60.blogs.sapo.pt)
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 14 de Março de 2004 às 23:15
Oh mulher deste e do outro século, sabes que em Portugal somos masoquistas . Por isso duvido que o resultado fosse o mesmo. É assim que se responde à canalhice de esconder a verdade em proveito próprio. Custa-me ver como foi por água abaixo, o apoio que o nosso cherne foi dar ao PP espanhol " em nome de Portugal"... e eu, que português sou, nem lhe passei procuração.
Quanto ao Teu artigo "Açores ou açorianos", que não se consegue comentar: por cá "...Há sempre um navio saindo da bruma, Há sempre um barco que vai ou que vem..." - Estamos agora no tempo das Azáleas, por tudo que é jardim ou estrada. Estão lindas. Também, ainda há um resto de perfume no ar, das flores dos incensos. Há sempre um avião no ar. Recordações para quê, quando se pode viver a experiencia ?Machado
</a>
(mailto:galileu90@hotmail.com)

Comentar post