Sexta-feira, 17 de Dezembro de 2004

Hoje

Hoje sinto-me docemente embalada em emoções contraditórias.

Lembro-me de ti. Lembro-me de tudo.

A casa começa a ficar com aquele ar de antecipação de festa que, ao mesmo tempo, me encanta e me deprime. Nunca consegui explicar a dualidade de sentimentos que esta época me inspira. Nunca consegui escapar deste sentimento de angústia que todos os Natais volta e me agarra.

Lembro-me de ti. Lembro-me de tudo.

Sei que este vai ser um Natal diferente. Paira uma sombra por aqui. Uma sombra que começa a impôr a sua realidade, a tornar-se concreta. Não me sinto muito capaz de a enfrentar. Sempre me senti impotente perante esta ameaça.

Lembro-me de ti. Lembro-me de tudo.

A tua lembrança (meu escudo de calor) faz-me desejar que tudo corra bem, que tudo se resolva por aqui. Preciso dessa certeza, dessa paz.

Tu partes também.

Afinal que é o Natal? O repetir de gestos e reuniões familiares, sempre iguais? As prendas que se dão porque tem que ser? Ou até as que se dão porque amamos as pessoas? Os cânticos, os dourados, as luzes? A ilusão de um mundo perfeito?

Lembro-me de ti. E vou lembrar-me de tudo até que voltes.
publicado por lique às 22:31
link do post | quer comentar? | favorito
|
3 comentários:
De Anónimo a 20 de Dezembro de 2004 às 03:47
"Lembro-me de ti. Lembro-me de tudo."
Ai, lembrar! Os mundos que existem dentro das lembranças... Um firmamento de estrelas, cada uma com o seu brilho próprio, a iluminarem a escuridão de dentro. Como se apagam estrelas? "Apago-te. Apaga-se tudo."
O meu beijo especialMJM
(http://babylonia.blogs.sapo.pt/)
(mailto:cacooco@hotmail.com)
De Anónimo a 19 de Dezembro de 2004 às 22:07

Escudo de calor que se fortalece dia a dia e atravessa o Natal como a sua mais bela estrelacaet
</a>
(mailto:arisko@sapo.pt)
De Anónimo a 19 de Dezembro de 2004 às 17:19
Hoje lembrei-me que o Mundo Élico precisava de tiAnjo élico
(http://sempreemfrenteamor.blogspot.com/)
(mailto:anjoelico@hotmail.com)

Comentar post