Quinta-feira, 17 de Junho de 2004

Reencontro

dry-tears.jpg


De te ver naquele dia
Dos meus olhos correu água
Lágrimas não, que o sabor
Do sal nelas não havia

De te ver naquele dia
Meu coração não parou
Bateu forte, sem cadência
Sem amor no que sentia

De te ver naquele dia
Minhas mãos eu não cerrei
Palmas abertas, em fuga
Alma corcel correria.
publicado por lique às 17:27
link do post | quer comentar? | favorito
53 comentários:
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 13:26
Tristeza, nostalgia, dor... Mas há nessas palavras uma força que mesmo sofrida tem garra para vencer. Palavras lindas as tuas :) Beijoinconformada
(http://palavrasapenas.blogs.sapo.pt)
(mailto:inconformada@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 13:01
Porquinho: oh amigo, eu tenho ido tantas vezes lá ver se já está tudo em ordem! Que coisa mais enervante! Hoje, por aqui, os comentários têm funcionado. Haja Deus! Espero que tudo se resolva. Beijolique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 12:59
Zeus: obrigada. Elogios de um deus do Olimpo fazem-me ficar corada! Bjslique
(http://mulher50a60.blogs.sapo.pt)
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 12:08
...o Sapo agora até me dificulta a entrada nas caixas de comments dos outros blogs...xiça! Desculpa o desabafo Lique...que ando mesmo danado...mas o teu poema ajuda a equilibrar os espiritos mais zangados...parabéns. Bjs e inté!porquinho da india
</a>
(mailto:baconfrancis@netcabo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 11:59
Por vezes "refinas" a tua prosa duma forma encantadora Lique..Muito bonito!Zeus
(http://blogdezeus.blogs.sapo.pt/)
(mailto:z_olimpo@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 11:34
DonBadalo: vens sempre a tempo. Há porventura horas para os amigos? Fico feliz por teres gostado e, talves sim, talvez haja neste poema alguma liberdade implícita... quanto mais não seja a de escolher entre arrumar o reencontro na prateleira ou tentar entendê-lo melhor. Beijoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 11:29
Sara: obrigada amiga pelas tuas palavras doces, como sempre. Tenho que te ir visitar, hoje ainda não deu tempo para nada. Beijinhoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 11:29

o Sapo apenas agora me permitiu que te diga que gostei mto do teu poema e da afirmação de liberdade implicíta que contém...

beijosDonBadalo
(http://oblogdalibelua.blogs.sapo.pt)
(mailto:DonBadalo@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 11:28
M.P.: Estou confiante que sim! É um reencontro suspenso... Beijinhos
lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 11:26
Anomalia: pois é amiga os reencontros são sempre emocionais, a carga é que pode ser positiva ou negativa...:)Beijinhoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)

Comentar post