Quinta-feira, 17 de Junho de 2004

Reencontro

dry-tears.jpg


De te ver naquele dia
Dos meus olhos correu água
Lágrimas não, que o sabor
Do sal nelas não havia

De te ver naquele dia
Meu coração não parou
Bateu forte, sem cadência
Sem amor no que sentia

De te ver naquele dia
Minhas mãos eu não cerrei
Palmas abertas, em fuga
Alma corcel correria.
publicado por lique às 17:27
link do post | quer comentar? | favorito
53 comentários:
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 00:23
Dália: achas que a minha tristeza é mais que diária? Opinião curiosa, porque me pareces ser a única pessoa que por aqui passa a pensar assim. E olhando para os meus últimos posts não vejo nada que tenha a ver com tristeza a não ser talvez este que, no fundo, também é um escape à tristeza. Já espreitei o teu post mas eu nunca gostei de ratos e tu tens lá logo três, ceguinhos e tudo... Imagina que me mordem as canelas! E depois, mulher, estás a usar uma linguagem complicada demais para mim. Andaste este tempinho a ter aulas com algum(a) intelectual da nossa praça? Se eu vir que os ratitos são inofensivos, talvez me atreva a entrar-te em casa. :) lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 00:15
Entendi a tua resposta Lique e também já tinha percebido isso da tua parte:)))boa noite e deixa-te voar na tua lucidez:-) beijos:)***wind
</a>
(mailto:cruzi@netcabo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 00:14
Dora: obrigada pelas tuas palavras que aliás não te agradeci da última vez. Vindas de ti, são muito gratificantes. Beijinholique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 00:12
Analfabeto: será amor? Ou o fim dele? Pois se nem eu sei... Bjslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 00:11
Wind: pois é , às vezes mais vale não haver. Mas eu ainda não "arrumei" este reencontro. Beijinhoslique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 00:09
Encontros a evitar... ou não? Realmente escorre tristeza deste teu poema. beijosognid
(http://catedral.weblog.com.pt)
(mailto:ognid@catedral.weblog.com.pt)
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 00:09
maria: obrigada por teres vindo. Os reencontros nem sempre são o que desejamos. beijinho de boa noite!lique
</a>
(mailto:lique2@sapo.pt)
De Anónimo a 17 de Junho de 2004 às 22:15
...há reencontros assim :) *quim
(http://lobices)
(mailto:q@sapo.pt)
De Anónimo a 17 de Junho de 2004 às 22:02
ó mulher !!! que raio... eu sei que o meu humor não é diário... mas a tua tristeza é mais que diária... aparece lá no canto... para sorrires... beijinhos da daliaDalia
(http://nelydalia.blogs.sapo.pt)
(mailto:nelydalia@mail.pt)
De Anónimo a 17 de Junho de 2004 às 20:14
lique, tenho encontrado aqui tantas pérolas...Este poema, tão cristalino na sua essência, deixou-me uma "impressão" de liberdade imensa. Parabéns :-)

Dora
(http://levementerotico.blogs.sapo.pt/)
(mailto:ledamadrugada@yahoo.com)

Comentar post