Quinta-feira, 17 de Junho de 2004

Reencontro

dry-tears.jpg


De te ver naquele dia
Dos meus olhos correu água
Lágrimas não, que o sabor
Do sal nelas não havia

De te ver naquele dia
Meu coração não parou
Bateu forte, sem cadência
Sem amor no que sentia

De te ver naquele dia
Minhas mãos eu não cerrei
Palmas abertas, em fuga
Alma corcel correria.
publicado por lique às 17:27
link do post | quer comentar? | favorito
53 comentários:
De Anónimo a 17 de Junho de 2004 às 18:34
Choraste, o coração tremeu... é amor. Gostei.analfabeto
(http://analfabetosexual.blogs.sapo.pt)
(mailto:pp@sapo.pt)
De Anónimo a 17 de Junho de 2004 às 18:16
Espectacular poema Lique. Estás a mostrar a tua veia poética.) Há reencontros assim...Mais vale não haver:-) A imagem está linda a condizer com as tuas palavras.Esses olhos "dizem" tudo. Beijos:))***wind
</a>
(mailto:cruzi@netcabo.pt)
De Anónimo a 17 de Junho de 2004 às 17:37
foges, atropelada por um olhar, por uma amor, que te magoa e fere... Doridas e sentidas palavras!! Adorei Lique! Magnifico! Continuação de um dia muito feliz! Beijinhos Maria
(http://coisassimples.blogs.sapo.pt)
(mailto:branco_maria@hotmail.com)

Comentar post