Quinta-feira, 17 de Junho de 2004

Reencontro

dry-tears.jpg


De te ver naquele dia
Dos meus olhos correu água
Lágrimas não, que o sabor
Do sal nelas não havia

De te ver naquele dia
Meu coração não parou
Bateu forte, sem cadência
Sem amor no que sentia

De te ver naquele dia
Minhas mãos eu não cerrei
Palmas abertas, em fuga
Alma corcel correria.
publicado por lique às 17:27
link do post | favorito
De Anónimo a 18 de Junho de 2004 às 18:58
há sentimentos que nunca se explicam querida lique, nem eu quero dar qualquer explicação nem justificação, apenas gosto de ti e da tua postura, és aquilo que eu chamo, singela nas palavras e nas atitudes.
Respondes ( e eu já me apercebi disso )...porque te dá prazer, porque gostas, nunca esperas que te venham retribuir o favor de te lerem, e eu muito sinceramente gosto disso.

um abraçoeterea
</a>
(mailto:etereamente@sapo.pt)
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.